Ex-deputado foragido se entrega à polícia de Rondônia

Foragido desde dezembro de 2011, o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, o deputado estadual cassado Valter Araújo (PTB), se entregou na manhã desta quinta-feira, 26, na 3º Vara Criminal em Porto Velho. De acordo com a defesa, durante os quase dois anos que esteve foragido, o ex-deputado nunca saiu da capital. Araújo, que é acusado de chefiar uma quadrilha que desviou milhões de reais dos cofres da Secretaria Estadual de Saúde em Rondônia, havia sido preso durante a Operação Termópilas em 2011, mas estava foragido desde que foi solto após seus advogados conseguirem um habeas-corpus que teria sido revogado.

QUETILA RUIZ, ESPECIAL PARA O ESTADO, Agência Estado

27 de setembro de 2013 | 00h07

Acompanhado de advogados e familiares, o ex-deputado prestou depoimento á juíza Larissa Pinho. Após receber voz de prisão, Valter foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e em seguida foi levado para o presídio estadual Pandinha. Araújo foi o deputado estadual mais votado na eleição passada, somando mais de 20 mil votos. Elegeu-se presidente da Assembleia e menos de um ano depois foi preso, durante a Operação Termópilas.

A operação foi deflagrada no dia 18 de novembro de 2011, com o cumprimento de 10 mandados de prisão preventiva, quatro de temporárias e 57 ordens de busca e apreensão em seis cidades do Estado. Oito dos 24 deputados da Assembleia Legislativa foram presos.

De acordo com o MP, a quadrilha atuava em um esquema fraudulento que favorecia empresas em licitações e contratos de prestação de serviço a órgão do governo, especialmente na Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e Secretaria de Justiça (Sejus). Cerca de 20 pessoas foram indiciadas em quase 70 ações penais propostas, que incluíam formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, violação de sigilo, entre outros crimes.

Tudo o que sabemos sobre:
Rondôniaex-deputadoforagido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.