Luiz Alves/Câmara dos Deputados
Luiz Alves/Câmara dos Deputados

Ex-deputado federal Tilden Santiago morre aos 81 anos vítima de covid-19

Além de político, Santiago também foi jornalista e embaixador do Brasil em Cuba durante o primeiro mandato do governo Lula

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2022 | 15h14

O ex-deputado e jornalista Tilden José Santiago morreu aos 81 anos, nesta quarta-feira, 2, em Minas Gerais, vítima de complicações da covid-19. Santiago foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) e da da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e também embaixador do Brasil em Cuba de 2003 a 2007, durante o primeiro mandato do governo Lula. 

Nascido em Nova Era, no interior de Minas Gerais, Santiago foi deputado federal por Minas Gerais por três mandatos consecutivos (1991-2003). Entre os seus projetos de lei de maior destaque estão o que prevê a guarda compartilhada dos filhos para pais separados e a ideia embrionária que, posteriormente, deu origem à Lei da TV a Cabo.

Como jornalista, foi presidente do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais e fundou o Jornal dos Bairros, ícone histórico da imprensa popular em Belo Horizonte na década de 70.

Seu falecimento foi lamentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em sua rede social, Lula relembrou a jornada política ao homenagear o antigo colega de partido. “Tilden militou pela democracia e por um Brasil melhor”, disse.

A presidente nacional do PT e deputada federal, Gleisi Hoffmann, também utilizou suas redes para oferecer condolências à família de Santiago e classificou-o como “companheiro valoroso de lutas históricas do partido”.

A bancada do PT na Câmara dos Deputados emitiu uma nota de pesar. “Dedicou sua vida aos mais pobres, e em todas as trincheiras onde lutou levava sua alegria, sua dedicação, sua fala empolgada que traduzia os sonhos de um Brasil melhor”, definiu.

Após 27 anos no PT, Santiago teve a filiação suspensa em 2007 depois de assumir o cargo na Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) durante o governo de Aécio Neves (PSDB). Outros dois partidos receberam o jornalista: o PSB, entre 2008 e 2019, e o PSOL, sigla que apoiou sua candidatura ao Legislativo de Contagem (MG) nas eleições de 2020. Entretanto, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Santiago renunciou antes mesmo da votação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.