Ed Ferreira/Estadão
Ed Ferreira/Estadão

Ex-deputado Bonifácio de Andrada morre aos 90 anos por complicações decorrentes da covid-19

Bonifácio estava internado desde o dia 16 de dezembro; falecimento foi comunicado pelas redes sociais de um dos filhos

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2021 | 23h47

O ex-deputado Bonifácio de Andrada morreu nesta terça-feira, 5, aos 90 anos, por complicações decorrentes da covid-19. O comunicado foi feito por meio das redes sociais de um de seus filhos, o deputado federal Lafayette de Andrada (Republicanos). Bonifácio estava internado no Hospital Mater Dei, em Belo Horizonte, desde o dia 16 de dezembro, mas seu quadro se agravou nesta terça. O corpo será sepultado na quarta-feira, 6, em Barbacena (MG), sua cidade natal.

Bonifácio encerrou seus quase 40 anos ininterruptos como deputado federal em 2018. Desde 1979, ele mantinha a tradição da família na política, que vem do tataravô: José Bonifácio de Andrada e Silva, um dos patriarcas da Independência. Na época, disse em entrevista ao Estadão que estava abrindo caminho para novas gerações.

A experiência do ex-deputado na política inclui a relatoria, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, da segunda denúncia contra Michel Temer (MDB), a quem deu parecer favorável.

Bonifácio era cientista político, professor, advogado e doutor em Direito Público pela Universidade Federal da Minas Gerais (UFMG). Era também reitor da Universidade Presidente Antônio Carlos (Unipac), instituição criada por ele há 57 anos, e presidente da Fundação José Bonifácio Lafayette de Andrada (Funjobe), entidade mantenedora da Faculdade de Medicina de Barbacena, também de sua criação, e provedor da Santa Casa de Misericórdia de Barbacena.

O ex-deputado deixa sua esposa, Amália Borges de Andrada, e oito filhos, entre eles o deputado federal Lafayette de Andrada.

Tudo o que sabemos sobre:
Belo Horizonte [MG]Barbacena [MG]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.