Ex-chefe de gabinete de Perillo quer ficar calada na CPI

Com depoimento na CPI do Cachoeira marcado para esta terça, a ex-chefe de gabinete do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), Eliane Gonçalves Pinheiro pediu um habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ela quer que o STF lhe garanta o direito de ficar em silêncio. O pedido será analisado pelo ministro Celso de Mello que, numa decisão recente, reconheceu esse direito ao contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Amparado na decisão, Cachoeira foi à CPI, mas não respondeu as perguntas dos parlamentares.

MARIANGELA GALLUCCI, Agência Estado

04 Junho 2012 | 19h19

Mais conteúdo sobre:
CPICachoeiraPerilloassessora

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.