Ex-assessor de Palocci é indiciado pela PF

O ex-assessor de Antonio Palocci no Ministério da Fazenda, Marcelo Netto, foi indiciado pelo delegado da Polícia Federal, Rodrigo Carneiro Gomes, por participação na violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa. A informação é do advogado de Marcelo Netto, Eduardo Toledo, que acompanhou o depoimento de seu cliente, que nesta segunda-feira prestou o segundo depoimento à PF.Para o advogado não existe nenhum argumento jurídico para esse indiciamento. Segundo ele, no depoimento de hoje Marcelo Netto respondeu a todas as perguntas do delegado e negou participação na quebra do sigilo de Francenildo. Eduardo Toledo disse que vai esperar a conclusão do inquérito para questionar o indiciamento.Marcelo Netto foi interrogado sob suspeita de que teria deixado vazar para a revista "Época" as informações sobre a movimentação registrada na conta do caseiro na Caixa Econômica Federal, que foram publicadas na edição do dia 18 de março. No primeiro depoimento à PF, dia 5 de abril, Marcelo Netto declarou-se inocente. Ele usou o direito legal de permanecer calado e não foi indiciado. Segundo informações da polícia, o delegado Rodrigo Carneiro Gomes, que ouviu o depoimento de Netto, não tinha razões para incriminá-lo.Marcelo Netto estava na residência de Palocci, quando Jorge Mattoso, ex-presidente da Caixa, entregou ao então ministro o extrato da quebra ilegal do sigilo do caseiro. Palocci recebeu o extrato ao lado de Marcelo Netto, assessor de imprensa do Ministério da Fazenda; e Daniel Goldberg, titular da Secretaria de Direito Econômico e subordinado ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.