Miguel Schincariol/AFP
Miguel Schincariol/AFP

Evo Morales e lideranças políticas do Brasil enviam mensagem de apoio a Lula

Presidente da Bolívia e amigo do petista disse que 'a luta continua por Lula livre'

O Estado de S.Paulo

07 Abril 2018 | 21h13

Depois que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Lava Jato, decidiu se entregar à Polícia Federal neste sábado, 7, lideranças políticas do Brasil e de outros países se manifestaram, enviando mensagens de apoio ao petista. 

presidente boliviano Evo Morales, que já havia publicado outras mensagens em apoio ao ex-presidente, voltou a defender seu amigo Lula, por meio do seu twitter. "Os crimes de Lula são: ter sido presidente dos trabalhadores, estar do lado dos trabalhadores e dos pobres que são vítimas dos estados coloniais. A luta continua por Lula livre".

O senador Humberto Costa (PT-PE) utilizou uma frase dita pelo ex-presidente durante o pronunciamento no sindicato antes de ser entregar à PF. "Eu não sou mais um ser humano, eu sou uma ideia".

"Nos cárceres do país, hoje, o preso político mais importante do mundo. Condenado sem provas, em processo de "exceção", a prisão de Lula é apenas mais um detalhe da ignomínia com que a direita conservadora-reacionária sempre brindou o Brasil: ódio de classe e autoritarismo", postou em seu twitter, o ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro (PT).

+ AO VIVO: Confira as últimas informações sobre a prisão de Lula

Manuela D'Ávila, pré-candidata à presidência da República pelo PCdoB, publicou uma imagem de Lula escrito: "Lula Livre", seguida da mensagem "Prisão sem crime é injustiça". 

Jandira Feghali (PCdoB-RJ) convocou os apoiadores do ex-presidente para um ato no domingo, na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro.

O crítico cinematográfico Pablo Villaça, que criticou a série da Netflix sobre a Operação Lava Jato, também mostrou sua solidariedade. "Moro sonhou que a prisão de Lula seria sua própria consagração; em vez disso, levou a imagem de Lula carregado pelo povo para todo o planeta". 

Outra declaração de apoio veio do deputado espanhol Pablo Iglesias, co-fundador do partido político Podemos.  "Nossa solidariedade ao povo brasileiro que está lutando contra a deriva autoritária: liberdade para Lula!".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.