Eventual mudança na reforma terá participação dos aliados, diz Berzoini

O ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, disse hoje, durante café da manhã com a bancada do PL, que qualquer acordo para uma eventual mudança na proposta de reforma da previdência terá participação dos parlamentares da base aliada. "Somos sócios de ônus e bônus", disse o ministro, após questionamento do deputado Luiz Antônio Medeiros (PL-SP) que manifestou dúvidas sobre a condução das negociações da reforma com o PT. "Estou com a reforma e não quero ser traído no meio do caminho. O PL defende a proposta, mas depois o governo faz acordo com o PT para modificar o projeto e eu fico mal. O PL fica com o desgaste político", afirmou Medeiros. A título de exemplo, ele contou que participou de um debate em uma rádio em São Paulo, com um deputado petista, e que viveu momento incomodo, porque o petista criticava a reforma e ele, Medeiros, a defendia. O ministro Berzoini, segundo relato de Medeiros, disse que o governo vai encarar "com dureza" as divergências dentro do PT. "Não se preocupe que eu não sou ministro do PT. Sou do governo, embora filiado ao PT", disse Berzoini, reforçando a afirmação de que qualquer negociação sobre a proposta de reforma será com a base aliada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.