Evento festivo selou a parceria

Fotos reforçam ligação do parlamentar com entidade

, O Estadao de S.Paulo

11 de julho de 2009 | 00h00

Três dias depois de o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), declarar que não tem nenhuma "responsabilidade administrativa" com a fundação que leva o seu nome, surge mais um elemento que confirma a ligação do parlamentar com o comando da entidade. Uma coleção de fotos mostra o senador na sessão solene de 15 de dezembro de 2005, no Rio, na assinatura do convênio com a Petrobrás que liberou R$ 1,3 milhão para o projeto da Fundação José Sarney. O presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, posa ao lado do presidente do Senado em momento festivo.Texto divulgado na época pela assessoria de imprensa da Petrobrás anunciou a presença de Sarney. "Essa iniciativa representa mais uma parceria da Petrobrás com a cultura brasileira e suas raízes", informou a assessoria. "A Fundação José Sarney é hoje um dos maiores centros de cultura deste Estado."Na quinta-feira, o Estado revelou que, em 16 de junho daquele ano, Sarney enviou um bilhete ao então secretário executivo e hoje ministro da Cultura, Juca Ferreira, em que pede agilidade na tramitação do projeto de sua fundação. Dois meses depois, o ministério aprovou a proposta da entidade para restaurar, preservar e digitalizar todo o acervo cultural de Sarney. Ontem, reportagem do Estado mostrou que Sarney e sua família dão as cartas na fundação. O estatuto da entidade revela que o parlamentar é o responsável administrativo pelos trabalhos. O documento de sete páginas contradiz o que o presidente do Senado afirmou aos seus pares na sessão de quinta-feira.Sarney figura como "presidente vitalício" e fundador da entidade. É responsável, por exemplo, por "assumir responsabilidades financeiras". Tem ainda o "poder de veto" sobre qualquer decisão tomada pelo conselho curador - também presidido por ele próprio.Compete a Sarney presidir reuniões desse conselho, que tem, entre seus membros, um filho do senador, Fernando; um irmão, Ronald Sarney; e Jorge Murad, marido da governadora Roseana Sarney, filha do presidente do Senado.O estatuto da Fundação José Sarney está registrado em um cartório de São Luís e foi anexado à prestação de contas entregue ao Ministério da Cultura. Uma procuração de Sarney dá poderes a José Carlos Sousa e Silva para agir como "presidente em exercício" apenas na sua ausência. Silva acaba de ser indicado pelo senador para cargo de juiz do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.