Evento em SP vira ato de desagravo a Dirceu, Delúbio, Genoino e João Paulo

Festa comemorava 60 anos de militância do ex-deputado Ricardo Zarattini; para João Paulo Cunha, mensalão deveria se chamar 'mentirão'

Fernando Gallo, de O Estado de S. Paulo,

06 de fevereiro de 2013 | 23h21

SÃO PAULO - Os quatro petistas condenados no processo do mensalão foram homenageados nesta quarta-feira, 6, em um evento que reuniu diversos parlamentares e militantes petistas em São Paulo. A comemoração dos 60 anos de militância do ex-deputado Ricardo Zarattini transformou-se em um ato de desagravo a José Dirceu, Delúbio Soares, José Genoíno e João Paulo Cunha, todos presentes à festa.

Do deputado Ricardo Berzoini (PT-SP) ouviram  "os ataques que sofrem não são para eles, mas para a militância do PT". Pelo filho do anfitrião, deputado Carlos Zarattini (PT-SP) foram tratados como "homenageados da noite". "Todos eles têm e vão continuar tendo um importante papel na nossa vida".

João Paulo fez a fala mais inflamada da noite, e comparou a "campanha que tem hoje" às promovidas para desestabilizar os presidentes Getúlio Vargas e João Goulart.

"Teve um presidente vitimado pelo mesmo tipo de campanha que tem hoje", disse ele. "Ela levou Getúlio Vargas a dar um tiro no peito. Ele não suportou e teve que se matar. E o que os poderosos fizeram com João Goulart?  Depuseram e colocaram a ditadura".

O deputado disse que as campanhas foram promovidas por "essa mesma imprensa, pelas mesmas forças que hoje se opões ao nosso projeto", e afirmou que o mensalão deveria se chamar "mentirão".

"Quem não entender isso entenderá o dia em que arrebentarem as cinco pontas da nossa estrela. Entenderá que o objetivo eram todos nós, principalmente o presidente Lula".

Genoíno sustentou que algumas pessoas os odeiam "porque a gente tem esperança e a obrigação do dever cumprido".

Já Delúbio Soares recomendou aos presentes que não perdessem "a perspectiva da luta de classes" e disse que "a luta muitas vezes exige um combate desigual, mas nós vamos lutar e vencer".

José Dirceu fez um discurso quase apolítico, e preferiu apenas homenagear Zarattini.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.