Evento de Temer em NY é marcado por três protestos diferentes

Uma das manifestações é de funcionários em greve do Itamaraty, a outra é um protesto anti-Temer e a terceira pede a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Altamiro Silva Junior, correspondente, e Claudia Trevisan, enviada especial, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2016 | 13h29

NOVA YORK - Três protestos ocorrem nesta quarta-feira, 21, em frente ao hotel onde o presidente Michel Temer tem reunião com empresários dos Estados Unidos e em seguida participa de almoço com investidores de Wall Street. Uma das manifestações é de funcionários em greve do Itamaraty, a outra é um protesto anti-Temer e a terceira pede a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A manifestação dos funcionários do Itamaraty é a maior, com cerca de 30 pessoas. "Temer resgate o Itamaraty" e "Itamaraty em greve" estão entre os cartazes segurados pelos funcionários da instituição, que paralisaram as operações dia 22 de agosto.

No protesto anti-Temer, cerca de dez pessoas pediam a saída do presidente, aos gritos de "golpista" e um enorme cartaz em inglês com a frase "defenda a democracia no Brasil".

O protesto que pede a prisão de Lula contava com sete pessoas no início da tarde, uma delas segurando um boneco do presidente com roupa de presidiário. Um dos manifestantes segurava um cartaz escrito "Deus, abençoe Sergio Moro" e outro mostrava a frase em inglês "O Lula acabou".

Dentro do hotel, Temer tem uma reunião reservada com 30 grandes empresas americanas, na qual discute projetos de concessão na área de infraestrutura no Brasil e fala do momento de transição na economia. A partir das 14h (de Brasília), participa de um almoço com 300 investidores, advogados e analistas de Wall Street. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.