Europa testa leis anticorrupção

Uma série de investigações sobre propinas em empresas européias líderes de mercado ajudou a acelerar a obediência a padrões globais anticorrupção, dizem analistas jurídicos e reguladores internacionais. "Em termos da construção de padrões globais na área de propina e corrupção, provavelmente existe mais progresso realizado nos últimos dois meses em comparação às últimas duas décadas", disse o vice-presidente da consultoria Integrity Interactive, Richar Cellini, especializada em reduzir risco de corrupção. Na Europa, as leis que proíbem pagamentos a executivos estrangeiros para fechar contratos são ainda relativamente novas. "As regras do jogo mudaram", disse Cellini, que atende empresas como Adidas, Novartis e Coca-Cola. "Na era da Internet, o dano causado às marcas por esses casos ocorre do dia para a noite."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.