EUA querem marcar nova data para visita de Dilma

Agenda da presidente foi cancelada após revelações de espionagem americana no Brasil

Cláudia Trevisan - O Estado de S. Paulo,

14 Dezembro 2013 | 16h35

Washington - Os Estados Unidos estão prontos para discutir uma nova data para a visita da presidente Dilma Rousseff ao país e gostariam que ela ocorresse no início de 2014, antes que a campanha eleitoral tome as ruas do país, disse Roberta Jacobson, secretária assistente para o Hemisfério Ocidental do Departamento de Estado.

Agenda inicialmente para outubro, a viagem foi cancelada por Dilma depois das revelações de que a agência de espionagem americana monitorou suas comunicações. O Brasil aguarda os Estados Unidos anunciarem a revisão da atuação da Agência de Segurança Nacional (NSA na sigla em inglês) para negociar uma nova data.

A Casa Branca anunciou na sexta-feira que o trabalho deve estar concluído em janeiro. "Eu não tenho dúvida de que o presidente (Barack Obama) gostaria muito que a presidente Rousseff viesse à Casa Branca", declarou Jacobson em entrevista ao jornal Miami Herald.

"Obviamente há uma certa pressão com o calendário eleitoral", observou. "Nem nós nem os brasileiros gostaríamos de fazer qualquer coisa que possa ser percebida como tendo um efeito indevido em procedimentos internos relacionados às eleições".

Dilma e Obama tiveram um breve encontro em cerimônia em homenagem de Nelson Mandela, na terça-feira. "O mundo todo estava claramente olhando o cumprimento de Raúl Castro, mas eu estava muito mais interessada em quem estava em pé ao lado de Raúl Castro e em como seria o cumprimento de Dilma Rousseff", lembrou. "Eu achei que o cumprimento foi bastante afetuoso."

Resta saber se o Brasil ficará satisfeito com as conclusões do processo de revisão das atividades da NSA.

Mais conteúdo sobre:
DilmaagendaEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.