EUA querem ajudar Brasil a combater trabalho infantil

O governo dos Estados Unidos revelou ao Brasil, ontem, na sede da ONU em Genebra, que está disposto a colocar cerca de US$ 5 milhões no programa de combate ao trabalho infantil no País. A informação foi dada pela secretária do Trabalho norte-americana, Elaine Chao, em um encontro realizado com o ministro do Trabalho, Jacques Wagner, que está na Suíça participando a Conferência Internacional do Trabalho. O ministro, apesar de ter considerado como positiva a iniciativa de Washington, insistiu que a parceria que o Brasil precisaria seria o aumento de investimentos produtivos no País e o fim das barreiras comerciais. "As parcerias são sempre bem vindas, mas disse a ela que a grande parceria seria a de investimentos produtivos e a de permitir que o comércio flua normalmente, porque é isso que gera o desenvolvimento econômico e a geração de emprego ", afirmou Wagner. A idéia da Casa Branca é de que o acordo seja assinado durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos Estados Unidos, no próximo dia 20. Segundo Wagner, a secretária de Trabalho norte-americana queria saber se ele faria parte da comitiva de Lula para que o acordo fosse concluido durante a visita presidencial. O ministro ainda revelou que a Casa Branca já enviou ao Brasil uma minuta de um acordo de cooperação com o governo. Segundo Wagner, esse acordo deve estar sendo avaliado pelo Itamaraty neste momento. "Os Estados Unidos também estão interessados em cooperar em outros temas, como na erradicação de trabalho escravo", afirmou Wagner. LulaDurante a conversa de cerca de uma hora entre os representantes dos dois países, Elaine Chao teria confirmado a Wagner que o presidente George W. Bush está com uma "impressão muito boa" em relação a Lula e que gosta de conversar diretamente com seus parceiros. "Isso é uma característica semelhante do presidente Lula. Ele também é muito de olho no olho", completou o ministro, que hoje já estaria de volta ao Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.