EUA e Canadá suspendem importação de carne do Brasil

Estados Unidos e Canadá suspenderam hoje a importação de carne bovina e em conserva do Brasil, como medida preventiva por causa da doença da vaca louca. Nos Estados Unidos, os produtos brasileiros serão recolhidos das prateleiras dos supermercados. O caso preocupa o governo brasileiro porque poderá refletir no comércio com outros mercados. O Brasil vem fazendo uma campanha para livrar a carne brasileira da classificação de risco por causa de doenças. A suspensão poderá prejudicar as negociações de certificação de qualidade com a União Européia. Embora não exista ocorrência da doença da vaca louca no Brasil, os dois países alegam que suspenderam as importações porque o Brasil falhou em responder consultas sobre rastreamento da doença no Brasil, pedidas pelos países do Nafta (Canadá, Estados Unidos e México), em 1998. De acordo com o governo canadense, as informações enviadas pelo governo brasileiro não foram suficientes. O rastreamento foi solicitado porque o Brasil importou animais vivos da Alemanha e da França, onde há focos da doença. Argentina e Uruguai, de acordo com a Embaixada do Canadá, responderam a consulta. O primeiro comunicado foi feito pela Embaixada do Canadá em Brasília. De acordo com o governo canadense, a medida não tem relação com o contencioso entre as fabricantes de jatos brasileira e canadense, Embraer e Bombardier, embora os canadenses tenham anunciado a medida um dia depois de o Brasil ter conseguido bloquear a abertura de um panel contra o Proex na Organização Mundial de Comércio (OMC). O governo canadense não explicou a coincidência. Afirmou apenas que a decisão de suspender a importação de carne brasileira foi tomada antes, mas não disse quando. O chefe da área econômica do Itamaraty, que negocia com o Canadá, embaixador José Alfredo Graça Lima, disse o fato de os Estados Unidos também terem suspendido as importações reforça a tese de que a medida não foi feita como parte da retaliação que o Canadá ameaça fazer contra o Brasil, por causa da briga com a Bombardier. ?O Brasil não tem nenhuma razão, e eu não crer, que essa medida tenha qualquer relações com a disputa com a Embraer?, disse Graça Lima. De acordo com o embaixador, o Canadá poderia ter notificado a OMC antes de tomar a decisão. O fato de os canadenses não terem primeiro utilizado o mecanismo da consulta na OMC, que possui normas para questões sanitárias e fitosanitárias, reserva o direito de o Brasil questioná-los na OMC, mas o embaixador disse que essa não é uma decisão do governo. No ano passado, o Brasil exportou US$ 503 milhões de carne bovina fresca e US$ 275,5 milhões de carne em conserva. Desse total, US$ 119 mil em carne fresca e US$ 80,3 mil em conserva foram para os Estados Unidos e US$ 48 mil em carne fresca e US$ 5,3 mil em conserva foram para o Canadá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.