EUA e Brasil devem liderar criação da Alca, diz secretário

O secretário de Comércio dos Estados Unidos, Donald Evans, disse hoje que é muito importante que norte-americanos e brasileiros trabalhem juntos, liderando a criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca), porque a iniciativa se insere num contexto de promoção do crescimento e combate à pobreza.Evans participa de encontro de representantes do setor privado dos dois países, que antecede o encontro previsto para amanhã entre os presidente George W. Bush e Luiz Inácio Lula da Silva. No evento, patrocinado pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, discursou enfatizando as mudanças que estão sendo feitas no Brasil para modernizar e desburocratizar mecanismos institucionais de apoio ao comércio.A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Donna Hrinak, afirmou que o encontro entre Bush e Lula não será uma cúpula sobre a Alca, pois enseja o aprofundamento das relações entre os dois países, numa perspectiva que vai além do comércio. O embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, acrescentou que os dois presidentes discutirão uma visão comum sobre o futuro das Américas. Barbosa observou que o comércio é um ponto importante para brasil e Estados Unidos, mas têm um foro próprio de discussão. Tanto ele como Donna Hrinak avaliaram que as divergências nessa área não devem afetar a essência das relações entre os dois países.Hoje à tarde, a Agência de Promoção do Comércio Exterior (APEX) e o Brazilian Information Center (BIC) deverão assinar uma carta de intenções para colocar em prática um projeto de US$ 2,5 milhões para promover as exportações do País no mercado americano. Criado há três anos com apoio do Itamaraty, o BIC é financiado hoje por companhias e associações empresarias brasileiras com interesses nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.