EUA descobrem rede brasileira de lavagem de dinheiro

Autoridades federais norte-americanas anunciaram na quinta-feira que conseguiram desmantelar uma milionária rede brasileira de lavagem de dinheiro. A executiva de contas bancárias do Valley National Bancorp, Maria Carolina Nolasco (norte-americana de origem portuguesa), foi detida após anos de operações ilegais. Ela é acusada de ter feito transferências irregulares de fundos do banco para uma casa de câmbio no centro de São Paulo. A mulher, segundo investigadores, recebia US$ 1,2 milhão pelas operações.Autoridades dos EUA disseram ter bloqueado mais de US$ 15 milhões em 39 contas bancárias controladas por Maria Carolina. Ela teria enviado dinheiro entre maio e dezembro. As contas bancárias estavam em nome da Gatex Corp., Harber Corp e Sorabe S.A., segundo a denúncia. Agentes aduaneiros norte-americanos rastrearam os números das contas e chegaram à casa de câmbio paulista. A empresa foi acusada de operar negócios de transferência sem a licença do governo norte-americano.A Justiça dos EUA também investiga Antonio Pires de Almeida, suposto responsável pela rede de transferências. Maria Carolina, de 44 anos, trabalha na sucursal de Nova York do Valley. Após ser presa, ela acabou sendo liberada com o pagamento de uma fiança de US$ 250 mil. Além das acusações de transferência ilegal, ela enfrenta outras quatro acusações: uma por evasão de impostos, duas por manobras financeiras e outra por lavagem. Se declarada culpada, ela poderá ser condenada a mais de 50 anos de prisão.

Agencia Estado,

28 de junho de 2002 | 20h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.