Itamaraty
Itamaraty

EUA dão aval a nome de Forster para embaixada em Washington

Bolsonaro anunciou nome do diplomata após o filho Eduardo desistir de ocupar a vaga diante da resistência do Congresso em aprovar seu nome

Beatriz Bulla, correspondente, O Estado de S.Paulo

19 de novembro de 2019 | 15h25

WASHINGTON – O Departamento de Estado americano comunicou nesta terça-feira, 19, ao governo brasileiro que os Estados Unidos dão o aval oficial para que o diplomata Nestor Forster seja nomeado embaixador do Brasil em Washington, segundo fontes com acesso ao documento. O comunicado é uma resposta ao “agrément” enviado pelo Brasil, uma maneira de consultar o país onde o futuro embaixador irá servir.

Forster assumiu o comando da embaixada desde junho, de forma interina, como encarregado de negócios.

Agora, o presidente Jair Bolsonaro poderá formalizar a indicação e encaminhar o nome ao Senado. Forster precisa se submeter a uma sabatina realizada pela Comissão de Relações Exteriores do Senado, uma votação na própria comissão e, depois, ter seu nome aprovado pelo plenário do Senado.

A praxe diplomática prevê que o anúncio do nome indicado a embaixador aconteça só depois do sinal verde do país ao pedido de “agremént”, feito de maneira silenciosa para evitar constrangimentos em caso de recusa do indicado. Mas, no caso da embaixada em Washington, Bolsonaro anunciou o nome de Forster para o posto depois que o filho, Eduardo Bolsonaro, desistiu de tentar ocupar a vaga diante da resistência do Congresso.

Em março, quando Bolsonaro esteve em Washington, o então ministro-conselheiro Nestor Forster teve papel central na organização da agenda presidencial e foi o responsável por organizar o jantar com representantes da direita americana, como o ex-estrategista de Trump, Steve Bannon, e com o escritor Olavo de Carvalho, de quem é amigo de longa data. Foi ele quem apresentou o chanceler, Ernesto Araújo, a Olavo.

O histórico de Forster

Desde 1992, o diplomata tem se especializado na América do Norte e, especialmente, nos EUA, tendo assumido cinco cargos diferentes no país e um no Canadá. Na embaixada do Brasil em Washington, Forster foi chefe de política comercial e do setor financeiro e já esteve à frente dos Consulados de Nova York e de Hartford, em Connecticut. De 2017 até assumir a cadeira de encarregado de negócios da embaixada, ficou responsável pela área de diplomacia pública, administração e temas migratórios. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.