Divulgação
Divulgação

'Eu o chamei para ajudar o povo brasileiro', diz Dilma sobre convite a Lula

Presidente sai em defesa do petista em evento de entrega de moradias do Programa Minha Casa Minha Vida

Maria Regina Silva e Mário Braga, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2016 | 12h44

São Paulo - A presidente Dilma Rousseff rebateu as críticas em relação ao convite do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para assumir a Casa Civil, durante cerimônia nesta manhã em Feira de Santana (BA) para entrega de moradias à população por meio do Minha Casa Minha Vida. Segundo Dilma, o convite a Lula foi para ajudar o País e o governo. "Em momentos de crise, vocês pedem ajuda a um parente. Eu o chamei para ajudar o povo brasileiro, pra gente voltar a crescer e gerar emprego. Ele está disposto a nos ajudar e a garantir que o País volte a crescer, apesar desse pessoal que torce contra. Muitos não querem que ele trabalhe para ajudar governo", disse.

A despeito do momento complicado na economia, o programa vai continuar, e ainda serão entregues mais 1,5 milhão de casas até o fim do próximo ano, disse a presidente. "Falem para os amigos e conhecidos de vocês que ainda não tiveram acesso que vamos lançar mais 2 milhões de moradias que serão selecionadas e distribuídas para aquelas pessoas que mais precisam até o fim do mês. Isso é fruto de uma decisão do governo federal: a decisão é usar o dinheiro dos impostos para garantir que mais famílias tenham acesso ao Minha Casa, Minha Vida", afirmou.

Dilma também rebateu a visão daqueles que são contrários ao Minha Casa Minha Vida, que avaliam que o benefício tem de acabar, dizendo "corta, corta e corta". Segundo a presidente, o programa não só não vai deixar de existir como o governo quer ampliá-lo. O público presente à cerimônia reagiu com aplausos e gritos de "Dilma, Dilma...Dilma guerreira, do povo brasileiro. Não vai ter golpe!"

A presidente disse ainda que, além de se "esforçar" para manter o programa, está atenta ao comportamento da inflação. "Esses programas serão mantidos, mas nós também temos de combater a inflação, pois isso prejudica o bolso de vocês. Agora, nós estamos dando os primeiros passos para controlar a inflação. A inflação nesse País vai cair", avaliou. Ela fez ainda uma breve defesa do ajuste fiscal, ao afirmar que, como "qualquer família", é preciso melhorar o próprio orçamento para fazer mais coisas para todos.

Dilma participou de cerimônia de entrega de unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, em Feira de Santana (BA). A entrega de unidades aconteceu de forma simultânea em outras cinco cidades: Teresina (PI), Itabuna (BA), Ananindeua (PA), Itapeva (SP) e Suzano (SP). Os empreendimentos são destinados a famílias com renda de até R$ 1,6 mil (Faixa 1). O total de casas entregues foi de 5.684.

Ela estava acompanhada do chefe de gabinete, Jaques Wagner, do governador da Bahia, Rui Costa, do prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho, do ministro Gilberto Kassab, além do governador do Piauí, Wellington Dias (PT), dentre outros. A presidente deve retornar para Brasília ainda hoje, às 13 horas, segundo a agenda oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.