Estudo vincula diabetes ao mal de Alzheimer

A diabetes poderia aumentar significativamente o risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer, segundo um estudo envolvendo 824 freiras, frades e sacerdotes católicos. Os participantes tinham 55 anos ou mais no início da pesquisa e foram acompanhados durante seis anos. Deles, 151 desenvolveram mal de Alzheimer, incluindo 31 que sofriam de diabetes.Os pesquisadores calculam que os diabéticos enfrentam um risco 65% maior de contrair a enfermidade que afeta as faculdades mentais.A relação mantém-se alta inclusive quando os cientistas agregam a presença generalizada de apoplexia, uma complicação comum na diabetes e que, segundo se acredita, aumenta o risco de Alzheimer.Pesquisas anteriores vincularam a diabetes com problemas de memória e sabe-se que esta doença danifica os vasos sangüíneos que irrigam o cérebro. Entretanto, os pesquisadores que procuraram especificamente relações entre diabetes e Alzheimer tiveram resultados contraditórios.?Este é um dos primeiros estudos a longo prazo que deu um seguimento a pessoas que iniciaram o estudo sem evidências de sofrer do mal da Alzheimer e rastreou como a diabetes aumenta o risco de desenvolvê-lo?, diz William Thies, vice-presidente de assuntos médicos e científicos da Associação do Mal de Alzheimer. ?É um argumento poderoso para que as pessoas façam o possível para controlar o nível de açúcar em seu sangue.?A diabetes do tipo 2, a mais comum em idosos, com freqüência pode ser controlada e inclusive curada com exercícios e dieta.Para o médico George King do Centro Joslin para a Diabetes, a pesquisa é ?bastante importante diante do fato de que a diabetes está aumentando enormemente?, com cerca de 18 milhões de doentes apenas nos Estados Unidos e perspectiva de que esse número duplique-se em 2005. Segundo ele, se a relação realmente existe, deverá haver um aumento correspondente no número de casos de Alzheimer.A pesquisa foi encabeçada pelos médicos Zoe Arvanitakis e David Bennett com a equipe do Centro Médico da Universidade Rush en Chicago e publicada, hoje, no número de maio da revista Archives of Neurology.O passo seguinte para os pesquisadores é descobrir exatamente como a diabetes pode produzir o mal de Alzheimer. Alguns cientistas defendem a teoria de que a diabetes pode causar um excesso de glicose no cérebro, que danificaria os neurônios.Um estudo recente, realizado com cobaias, do qual participaram pesquisadores do Centro Joslin, sugere que as anormalidade da insulina na diabetes poderia afetar uma proteína chamada tau, que no Alzheimer faz com que os neurônios se misturem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.