Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Estudo sobre Previdência deve ficar pronto na próxima semana

O ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, disse no Congresso da Confederação Nacional dos Bancários, que na próxima semana deverão estar concluídos estudos sobre propostas alternativas para a reforma da Previdência, que estão sendo discutidas no Congresso Nacional. Ele disse que uma das propostas em análise é a que estabelece um teto de R$ 2.400,00 e adota um fundo de previdência complementar a partir deste valor, com contribuição até os 60 anos, e se o servidor público chegar aos 65 anos, poderá ter direito à integralidade do último salário. O ministro disse que a análise da proposta não significa uma concordância. Segundo ele, não há uma proposta fechada, e hoje a idéia do governo é continuar com a proposta de um mínimo de R$ 240,00, e um teto de R$ 2.400,00, e acima do teto, adoção de um fundo de previdência complementar. Ele disse que a concepção da reforma previdenciária de justiça social e orçamentária tem que ser preservada. Para ele, é inegociável a reversão da tendência do crescimento do déficit previdenciário. O ministro negou que haja disposição do governo de estabelecer regras iguais entre os funcionários privados e os servidores públicos. Segundo ele, a proposta tem que ser negociada no Congresso Nacional mas que o governo está aberto a fazer os cálculos atuariais para verificar se as propostas em negociação no Congresso seguem os objetivos de decréscimo no déficit da Previdência.

Agencia Estado,

09 de julho de 2003 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.