Estudo diz que 87% dos índios do Javari têm hepatite A

Pelo menos 87% da população indígena do Vale do Javari, em Atalaia de Norte (AM), está contaminada com o vírus da hepatite A, de acordo com o resultado de inquérito sorológico de hepatites virais realizado na região, divulgado pelo Conselho Distrital do Vale do Javari. Segundo o presidente do Conselho, Jorge Marubo, 95% dos indígenas locais com mais de 40 anos estão contaminados e 40% das crianças manifestam a doença antes de um ano de idade. O Vale do Javari tem 50 comunidades, com índios de 8 etnias.Marubo explicou que 2.334 indígenas foram entrevistados no segundo semestre do ano passado, em um estudo coordenado pelo Conselho. Das 50 comunidades do Vale do Javari, a mais atingida pela doença é a Jaquirana, com 92% dos índios infectados pelo vírus. A assessoria da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) informou que os dados são "infundados". A reportagem procurou a Fundação Nacional do Índio (Funai), mas não obteve resposta.Segundo o líder indígena, a falta de políticas de prevenção à contaminação foi a principal causa dos altos índices da doença. "Nosso temor é que, se o descaso continuar nesse ritmo, em menos de 30 anos todas as etnias do Vale do Javari serão extintas", alertou.O estudo mostrou ainda que 68% dos indígenas que foram entrevistados têm hepatite B, o que equivale a 1.832 casos. A faixa etária com o maior número de pessoas contaminadas por esse tipo de vírus vai de 20 a 39 anos, com 16,7% dos índios atingidos. Ainda de acordo com a pesquisa, quase a metade dos entrevistados, 48,7%, está contaminada também com a hepatite delta (D), a forma mais violenta da doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.