Estudantes vão levar informações sobre DSTs e aids ao NE

O programa Universidade Solidária fechou, nesta sexta-feira, parceria com o Instituto Kaplan, de São Paulo, para treinar estudantes que vão atuar como transmissores de informações sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST), especialmente aids e gravidez precoce, a moradores de 26 cidades do baixo São Francisco, no Nordeste.São cerca de 2.100 jovens que participam do Universidade Solidária e que irão àquela região para executar ações em prol do desenvolvimento social e econômico das comunidades.Para a presidente do conselho do Comunidade Solidária, Ruth Cardoso, o projeto vai colaborar para a melhoria da qualidade de vida da população daqueles municípios, estimada em 600 mil pessoas."Estamos tentando enfrentar um problema seriíssimo no Brasil, que é o da saúde, numa região que necessita muito de apoio", afirmou. A região do baixo São Francisco corresponde à área de abrangência da hidrelétrica do Xingó nos Estados de Pernambuco, Sergipe, Alagoas e Bahia.O coordenador do programa no Universidade Solidária, Waldenor Moraes Filho, explica que a região foi escolhida porque já existe no local uma rede de universidades propondo ações para melhorar a qualidade de vida da população. A orientação sexual, segundo ele, complementa esse trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.