Estudantes resistem na UnB e trocam socos com seguranças

Há uma ordem da Justiça para a desocupação da reitoria e a Polícia Federal deu um prazo até as 18 horas

Lígia Formenti, de O Estado de S. Paulo,

07 de abril de 2008 | 15h57

Os estudantes que invadiram na última quinta-feira, 3, a reitoria da Universidade de Brasília (UnB) trocaram socos com seguranças do prédio nesta segunda-feira ao quebrar o cerco e tentar aumentar o número de alunos que ocupam a reitoria da universidade. Antes, eram 40 os alunos que ocupavam o gabinete do reitor; agora, são mais de 100. A situação é muito tensa, segundo a rádio CBN. Há uma ordem da Justiça para a desocupação e a  Polícia Federal deu um prazo até as 18 horas.   Veja também:   Reitor da UnB aceita parte das reivindicações Justiça manda estudantes desocuparem Reitoria da UnB   Os alunos da universidade exigem a renúncia do reitor, Timothy Mulholland, acusado de comprar mobília de luxo para seu apartamento funcional com dinheiro de pesquisa científica da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec). Os estudantes decidiram em assembléia que permanecerão no local. Cerca de mil estudantes participaram da votação. Entre as reivindicações dos estudantes está a saída do reitor e do vice-reitor, Edgar Mamiya, a dissolução do conselho da Fundação Universidade de Brasília (FUB) e a convocação de novas eleições diretas e paritárias.   De acordo com determinação judicial, o Diretório Central dos Estudantes da UnB terá que pagar multa de R$ 5 mil a cada hora que os manifestantes permanecerem na reitoria, contadas a partir das 15 horas desta segunda-feira. Nesta segunda, o reitor prometeu atender algumas das reivindicações dos manifestantes. A reitoria divulgou termo de compromisso de Timothy Mulholland se comprometendo, entre outras coisas, a construir uma nova Casa do Estudante Universitário e a convocar o Conselho de Administração (CAD) para quinta-feira para apresentar a prestação das contas da Fundação Universidade de Brasília (FUB) do exercício de 2007.       (Com Agência Brasil)

Tudo o que sabemos sobre:
Timothy MulhollandUnB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.