Estudantes provocam confusão no Senado

A Polícia do Senado ouve no início da tarde de hoje estudantes da Universidade de Brasília (UnB) que tentaram tumultuar a votação do Código Florestal nas comissões de Ciência e Tecnologia (CCT) e Agricultura e Reforma Agrária (CRA). Um dos jovens foi atingido por um disparo da arma Taser, cujas ondas causam paralisia. Ele foi arrastado até o elevador, enquanto seus colegas protestavam. Policiais acusam esse estudante de ter tentado agredi-los.

ROSA COSTA, Agência Estado

08 de novembro de 2011 | 14h00

Estudante de antropologia, Caio de Miranda, disse que estavam lá para protestar contra o novo código. "Só tinha um pequeno agricultor lá (nas comissões), o resto era ruralista", justificou.

Segundo ele, dos cerca de 15 estudantes que entraram no Senado, só três conseguiram entrar na sala de reunião das duas comissões. Em protesto, os estudantes fizeram coro, gritando para os senadores "não nos representam, não nos representam". Miranda acusa os policiais de terem se irritado quando ele os acusou de serem "ladrões porque defendem ladrão".

A senadora Marinos Brito (PSOL-PA) foi chamada pelos estudantes, mas ainda não se manifestou sobre a confusão. Caio de Miranda disse que defende o "código de antes", mas ele não soube precisar se fala do texto aprovado pelos deputados ou do texto defasado que está em vigor.

Tudo o que sabemos sobre:
AmbienteCódigo florestalprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.