'Estou tranquilo', diz Perillo sobre quebra de sigilos

Comissão quer investigar o envolvimento do governador com o esquema comandado por Cachoeira

RICARDO BRITO, Agência Estado

15 Junho 2012 | 17h09

BRASÍLIA - O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), disse nesta sexta-feira, 15, estar "absolutamente tranquilo" em relação à quebra de seus sigilos, conforme decisão aprovada pela CPI do Cachoeira. A comissão quer investigar, entre outras suspeitas, o envolvimento do governador com o esquema comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Veja também:

link CPI do Cachoeira vai excluir provas anuladas pela Justiça, diz senador

link Base governista barra depoimento de dono da Delta e oposição vê ‘fim da CPI’

link CPI aprova quebra de sigilos dos governadores de GO e DF

"Eu não movimento muito dinheiro em conta bancária. Meu imposto de renda sempre foi aprovado pela Receita Federal", afirmou Perillo sobre seu sigilo bancário e fiscal. O comentário foi realizado na saída de reunião da presidente Dilma Rousseff com governadores e vice-governadores ocorrida hoje no Palácio do Planalto em que o governo federal anunciou medidas para estimular investimentos.

A CPI determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico, de mensagens de celular e dos e-mails de Perillo e do governador do Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz, desde janeiro 2002 até agora. Perillo reconheceu que, mesmo tranquilo em relação ao seu sigilo, não se lembra das suas movimentações financeiras no período. "É claro que não me lembro de tudo que aconteceu nos últimos dez anos, mas estou absolutamente tranquilo quanto a isso", disse.

Mais conteúdo sobre:
CPI do Cachoeira CPI Cachoeira Perillo sigilos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.