'Estou pensando', diz Ciro sobre candidatura a governo de SP

Possibilidade de o PT apoiar a candidatura do deputado se transformou no estopim de crise interna no partido

ANA CONCEIÇÃO, Agencia Estado

18 de junho de 2009 | 12h48

O deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) disse nesta quinta-feira, 18, durante o 11º Congresso do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, na capital paulista, que está considerando a possibilidade de se lançar candidato ao governo do Estado de São Paulo nas eleições do ano que vem. Respondendo a uma pergunta de um dos delegados do congresso sobre uma eventual candidatura ao Palácio dos Bandeirantes, o parlamentar afirmou: "Estou pensando". Em seu discurso para a plateia, Ciro salientou que não tem mais interesse em continuar como deputado federal. "Não tenho mais o que fazer ali, há outras pessoas que trabalham melhor do que eu."

 

A possibilidade de o PT apoiar a candidatura de Ciro ao governo paulista em 2010 se transformou no estopim de uma crise interna no partido. Lançado como balão de ensaio, mas cada vez mais visto como uma alternativa real, o "fator Ciro" já provoca gritaria no PT paulista.

Mais cedo, porém, em entrevista a jornalistas, o deputado afirmou que seu projeto é ser presidente da República e que os comentários sobre uma eventual candidatura ao Palácio dos Bandeirantes ainda "estão no plano rigoroso da especulação". "Evidente que fatos se reproduzem a partir de especulações. (Mas) Eu quero ser candidato a presidente (da República)."

Ainda sobre uma eventual candidatura ao governo paulista, o parlamentar afirmou que ser candidato em São Paulo é algo complexo que exige algum tempo para tomar tal decisão. Ele disse que chegou à conclusão preliminar de que existem dois grupos que querem sua candidatura. Sem citar nomes, Ciro afirmou que um dos grupos tem interesses mesquinhos com objetivo de fazê-lo desistir da candidatura à Presidência e o segundo é formado por pessoas de boa fé que acreditam que sua candidatura pode ser uma alternativa para o Estado.

Vice

Questionado sobre se aceitaria compor chapa com a ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, como vice presidente, Ciro elogiou a pré-candidata, mas afirmou não ser pertinente discutir o assunto neste momento. O parlamentar foi indagado também sobre as desvantagens de disputar o governo paulista, por ser deputado pelo Ceará. Paulista de nascimento, ele disse que não vê desvantagens, pois no seu entender a questão central é a competência, o compromisso popular e a experiência para oferecer respostas aos problemas da população, qualidades que ele afirma possuir.

Para Ciro, o Estado de São Paulo precisa de um governo inovador e, na sua avaliação, o ex-governador tucano Geraldo Alckmin, atual secretário de Desenvolvimento do governo Serra, é mais competitivo do que o secretário da Casa Civil, Aloizio Nunes Ferreira, que também pleiteia a cabeça de chapa do PSDB nas eleições estaduais de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.