Estiagem deixa cidades gaúchas em estado de emergência

Pelo menos 39 municípios gaúchos estão em situação de emergência devido à estiagem no Estado, que vive uma situação atípica de chuvas desde o final de dezembro. Até a última sexta-feira, 12 cidades haviam decretado a medida.Em São Leopoldo, município com 202 mil habitantes na região metropolitana de Porto Alegre (RS), a irregularidade das chuvas ameaça o abastecimento de água. O Rio dos Sinos, fonte de abastecimento da cidade, está um metro abaixo de seu nível normal, conforme a Secretaria Municipal de Água e Esgotos. A prefeitura tem pedido à população para que economize água para afastar o risco de racionamento.Na Região Metropolitana de Porto Alegre, o índice de chuvas medido pela Rede de Estações de Climatologia Urbana de São Leopoldo confirma o ritmo abaixo da média para este período do ano. Na segunda quinzena de dezembro, quando a média de chuvas é de 140 milímetros, foram registrados 16 milímetros, informa o coordenador do órgão, Eugênio Hackbart. Em janeiro, para a média de 150 milímetros, houve 61 milímetros na região. Em fevereiro, a precipitação somou 57 milímetros, para uma média de 117 milímetros.O efeito do clima sobre a safra de grãos de verão ainda não foi dimensionado. A Emater está realizando um levantamento que deve ficar pronto na sexta-feira. A Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) do Rio Grande do Sul calcula que 50 mil famílias de pequenos produtores poderão ser prejudicadas pela estiagem. As lavouras mais afetadas pela falta de chuvas são o milho e a soja, além da produção de leite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.