Estevão e Barros comparam caso TRT-SP

O ex-senador Luiz Estevão (PMDB-DF) e o empresário Fábio Monteiro de Barros Filho, presidente da Incal Incorporações, aproveitaram a audiência de ontem na Justiça Federal, no processo que apura o desvio de verbas do Fórum Trabalhista de São Paulo, para traçar um paralelo entre o caso em que estão envolvidos com as denúncias de irregularidades na construção da nova sede da Procuradoria-Geral da República em Brasília.O procurador geral da República, Geraldo Brindeiro, teria ignorado denúncias feitas por colegas. Barros afirmou que Brindeiro deveria ir para a cadeia e ter os bens bloqueados e que o Ministério Público Federal (MPF) atua "com dois pesos e duas medidas", quando se trata do caso do Fórum Trabalhista. Com relação às denúncias internas, ele defendeu que haja o mesmo tratamento.Estevão disse: "Como cidadão, repudio a figura de Geraldo Brindeiro, cuja máscara caiu nos últimos 30 dias." Mais depoimentos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.