Estatal nega falhas em obra

Petrobrás também refuta suspeitas de sobrepreço

Leandro Colon, O Estadao de S.Paulo

20 de agosto de 2009 | 00h00

Em nota enviada ontem ao Estado, a Petrobrás diz que não há falhas na obra da Refinaria Abreu e Lima e nega a intenção de esconder informações do Tribunal de Contas da União (TCU). "A Petrobrás considera que não há irregularidades nas obras a que se refere a auditoria e nem houve obstrução à fiscalização ou sonegação de documentos", diz a empresa. "É importante ressaltar que os documentos e as informações das licitações encerradas ficam franqueados para análise do TCU, em conformidade com a legislação vigente. Assim, não há porque se falar em obstrução nem em multa", ressalta. Em relação às suspeitas de sobrepreços, a Petrobrás também refuta a conclusão dos auditores. "Nos contratos em questão a equipe de auditoria do TCU não levou em conta as especificidades da construção e implantação de uma unidade industrial do ramo petrolífero", diz a nota. A empresa alega que os auditores usaram tabelas do setor de habitação, saneamento e obras rodoviárias para comparar os preços contratados. "Estaremos comparando dados qualitativamente distintos e, portanto, não passíveis de comparação", justifica. A empresa também repudiou o trecho em que a auditoria do tribunal critica a compra, sem licitação, de equipamentos por R$ 66 milhões. "É falsa a afirmação de que houve a aquisição de equipamentos sem licitação. A Petrobrás fez uma licitação para a construção dos edifícios da refinaria, com a montagem do laboratório e da cozinha industrial (incluindo os equipamentos)", argumentou. Segundo a nota enviada pela empresa, "o procedimento é vantajoso porque, no momento de entrega da obra, todos os equipamentos já estarão disponíveis e prontos para operar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.