'Estamos tão mal assim?', diz CNBB sobre fala de Lula

Ao ser questionado hoje sobre a afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que, para enfrentar uma votação, "Jesus teria de chamar Judas para fazer coalizão", o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), D. Geraldo Lyrio, questionou: "Estamos tão mal assim?"

LÍGIA FORMENTI, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 17h43

As declarações de Lula foram dadas em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", publicada hoje, sobre as alianças políticas do atual governo e as perspectivas de acordo para as eleições do ano que vem.

O presidente, defensor de uma disputa que confronte os resultados de seu governo com os do tucano Fernando Henrique Cardoso, confirmou na entrevista a manutenção da aliança PT-PMDB para as eleições de 2010.

Lula também respondeu sobre sua relação com algumas figuras polêmicas, como o ex-presidente e atual senador por Alagoas, Fernando Collor de Mello, e falou da crise no Senado. "Não existe relações de amizade, mas institucionais", disse o presidente ao jornal.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulaaliançaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.