DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

'Estamos escalando seleção para partida', diz Marun sobre trocas na CCJ

Peemedebista, integrante da tropa de choque de Temer, entrou na comissão no lugar de José Fogaça (PMDB-RS), que era favorável à admissibilidade da denúncia; leitura do parecer do relator será na tarde desta segunda-feira

Daiene Cardoso, Julia Lindner e Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2017 | 15h08

BRASÍLIA - Após manobras para garantir votos na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o vice-líder da bancada do PMDB, Carlos Marun (MS), defendeu, nesta segunda-feira, 10, as trocas de membros no colegiado e disse que a manobra era "correta". Para Marun, é natural que os partidos aliados queiram colocar na CCJ representados alinhados com o governo. "Estamos escalando a seleção para essa partida", comparou Marun.

O peemedebista foi um dos governistas a fazer questão de recepcionar o advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira na chegada à CCJ nesta tarde. Mariz disse estar "muito confiante" e foi abraçado por governistas, que diziam "estamos juntos".

AO VIVO Acompanhe a sessão de leitura do parecer do relator na CCJ

Marun - que foi incluído hoje como titular na CCJ - disse que quem precisa colocar voto no plenário é a oposição. Em sua avaliação, os oposicionistas querem protelar a votação para "atrapalhar" o País. "Vocês já viram culpado querendo rapidez? O presidente Michel Temer é inocente e quer rapidez", declarou.

Nas últimas horas, a mais recente mudança na CCJ foi na representação da bancada do PSD. Evandro Roman (PSD-PR) substitui agora Expedito Netto (PSD-RO) como titular.

O peemedebista defendeu que não haja recesso enquanto o assunto não for liquidado na Câmara. "Só falta alguém achar que podemos sair de férias deixando sobre a mesa uma questão tão importante como essa", comentou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.