Estaleiros Verolme-Ishibrás construíram a P-34

A plataforma de produção de petróleo P-34, que está adernada na Bacia de Campos, região produtra no litoral Norte do Estado do Rio, foi construída sobre um petroleiro da década de 50, chamado, à época, de Juscelino Kubitschek. Ao contrário do que noticiou o portal estadao.com.br na segunda-feira, a conversão da plataforma não foi feita pela Marítima Engenharia e Petróleo, mas pelos estaleiros Verolme-Ishibrás, em 1994.O navio petroleiro Juscelino Kubitschek foi recauchutado nos anos 80, já com o nome de Presidente Prudente de Moraes ? a mudança ocorreudepois que Juscelino perdeu os direitos políticos, durante o regime militar ? e passou a operar como sistema piloto em campos produtores emdesenvolvimento. Ou seja, opera no campo enquanto a plataforma definitiva é construída. No caso dos campos de Barracuda e Caratinga, onde está a P-34, estão em construção duas novas plataformas, chamadas de P-43 e P-48.Entre 1997 e 2000, a Marítima ganhou cerca de US$ 2 bilhões em contratos de construção de plataformas para a estatal, dentre eleas aP-37 e P-40, que estão no campos de Marlim e Marlim Sul, e a P-36, que naufragou em março do ano passado, no campo de Roncador. ?Mas asinvestigações concluíram que o acidente não teve influência da construção da plataforma?, destaca o assessor de imprensa da Marítima, Gilberto Nahum.Veja o especial sobre a P-34

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.