Estados do Sudeste querem impor limites à guerra fiscal

Depois da área de segurança, Estados do Sudeste começam a articular políticas conjuntas na área fiscal. Segunda-feira, 12, secretários da Fazenda e do Desenvolvimento de São Paulo, Minas, Espírito Santo e Rio reúnem-se para discutir temas da área tributária. A pauta inclui tentativa de impor limites à guerra fiscal na região, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, Júlio Bueno. "Temos que acabar com o leilão por novos investimentos", afirmou Bueno ao Estado. Desde o início de seus mandatos, os governadores José Serra (SP), Aécio Neves (MG), Paulo Hartung (ES) e Sérgio Cabral (RJ) trabalham numa aproximação inédita. O primeiro movimento foi a criação de grupos para estudar maior integração das áreas de segurança. A reunião no Rio será a primeira oficial das áreas econômicas dos quatro governos. Bueno propõe limites para concessão de benefícios a novos investimentos, além da instituição de políticas setoriais conjuntas para desenvolvimento de atividades comuns.Sobre o fim da guerra tributária, criticou a concessão indiscriminada de incentivos. Não quis adiantar que medidas podem ser tomadas, mas disse que a proposta é padronizar descontos do ICMS. Os outros três governos não se pronunciaram.

Agencia Estado,

08 de março de 2006 | 12h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.