''Estado'' sabatina Crivella hoje no Rio

Senador do PRB abre série de entrevistas com candidatos a prefeito; encontros em SP começam dia 1º

Luciana Nunes Leal, O Estadao de S.Paulo

21 de agosto de 2008 | 00h00

À frente das pesquisas entre o eleitorado carioca, Marcelo Crivella (PRB) abre hoje a série de sabatinas com candidatos a prefeito do Rio e de São Paulo promovida pelo Grupo Estado. Os concorrentes responderão a perguntas dos jornais O Estado de S.Paulo e Jornal da Tarde, da Agência Estado e da Rádio Eldorado. Os eventos serão transmitidos ao vivo pela internet, na TV Estadão (www.estadao.com.br). O público poderá enviar perguntas por e-mail e participar dos eventos, na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio, ou no auditório do Grupo Estado, em São Paulo, sempre das 11h às 13h. Amanhã será a vez do candidato petista à Prefeitura do Rio, Alessandro Molon. Os demais serão sabatinados semana que vem: Eduardo Paes (PMDB), Fernando Gabeira (PV), Solange Amaral (DEM), Chico Alencar (PSOL) e Jandira Feghali (PC do B). Em São Paulo, do dia 1º ao dia 5, participam Marta Suplicy (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Paulo Maluf (PP) e Soninha Francine (PPS). Ivan Valente será sabatinado no dia 8.BIOGRAFIASNa estréia do programa eleitoral gratuito no rádio e na TV, os candidatos à Prefeitura do Rio apresentaram suas biografias - com as devidas omissões dos pontos de desgaste - e suas famílias. Evitaram ataques aos adversários e os que fizeram promessas se concentraram principalmente na saúde. Crivella foi o único a tocar em um ponto fraco da campanha. No rádio, o ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus garantiu que não mistura "religião com política" e reconheceu que sua candidatura "gera algumas inquietações naturais". Na TV, Crivella não tocou no assunto.Mulher e filhos foram apresentados na TV por Paes, Gabeira e Molon. No programa da noite, o governador Sérgio Cabral, que à tarde fora apenas citado pelo candidato, pediu votos para Paes e destacou a possibilidade de parceria entre prefeito, governador e o presidente Lula. O cabo eleitoral mais presente no rádio e na TV foi o prefeito Cesar Maia (DEM), que pediu votos para Solange Amaral. Maia opôs sua candidatura, da continuidade, à dos rivais que, segundo ele, "querem acabar com tudo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.