EVARISTO SA/AFP
EVARISTO SA/AFP

‘Estado’ lança o ‘Monitor Bolsonaro’

Ferramenta acompanha tramitação dos projetos do governo e o andamento dos temas no Congresso

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2019 | 12h00

O Estado lançou no sábado, 1.º, o Monitor Bolsonaro, uma ferramenta online que vai acompanhar a tramitação dos principais projetos do governo de Jair Bolsonaro no Congresso – Câmara e Senado. O leitor poderá monitorar cada passo para a concretização de propostas como a reforma da Previdência, a reforma tributária e projetos defendidos pelo presidente desde a campanha eleitoral, como o Escola sem Partido e a flexibilização do acesso a armas de fogo.

No Monitor, o leitor também pode verificar quais os passos restantes para que cada proposta seja aprovada – as comissões por onde um projeto de lei deverá passar ou as ações necessárias por parte do presidente e sua equipe para que algo possa vigorar. Por exemplo: no caso da Previdência, a reforma considerada como essencial pelo governo para a retomada do crescimento econômico do País, o Monitor mostra que o texto foi entregue ao Congresso no dia 20 de fevereiro e só depois de 62 dias ele foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Atualmente, a proposta está na Comissão Especial para análise do mérito – o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quer que o relator apresente o texto da reforma antes do dia 15 deste mês. Este é o último passo antes da votação na Casa em primeiro turno. São necessárias duas votações, tanto na Câmara quanto no Senado, para que a proposta entre em vigor.

A tramitação na CCJ, no entanto, durou mais tempo que o governo Bolsonaro esperava – o governo Temer levou apenas dez dias para passar sua reforma na mesma comissão. Essa diferença se explica pela falta de uma base articulada e de uma coalizão majoritária do atual governo e pela relação conturbada entre Executivo e Legislativo na gestão Bolsonaro, que entra em seu sexto mês.

O funcionamento do Monitor é simples. Ele divide os projetos em “concluídos”, apontados pela cor verde, “em andamento”, identificados pela cor amarela, e “cancelados”, que aparecerão na cor vermelha.

Também estarão destacados, identificados com a cor cinza, os projetos já citados pelo presidente ou seu entorno, mas que ainda não foram para o papel e estão “aguardando ação”, como a promessa da mudança da embaixada do Brasil em Israel.  Ao clicar em cada proposta, o leitor terá os detalhes do andamento de cada projeto, com links que o direcionarão para reportagens do Estado sobre cada etapa.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.