Estado foi o 1º a admitir ensino itinerante

O Rio Grande do Sul foi o primeiro Estado a admitir o funcionamento das escolas itinerantes em acampamentos. Hoje a experiência se repete em vários Estados. De acordo com o Ministério Público do Rio Grande do Sul, o problema destas escolas é a falta de controle sobre o que é ensinado ali e sobre a frequência dos alunos. O MST alega que as crianças acampadas são discriminadas nas escolas públicas - daí a necessidade de escolas especiais, capazes de atender também à rotina dos pais, que participam de marchas e invasões.Ontem, o presidente da Comissão Pastoral da Terra (CPT), o bispo d. Xavier Gilles, emitiu nota criticando os procuradores. Disse que, em vez de defender os fracos, ficam ao lado daqueles que "secularmente vivem da exploração dos pobres".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.