Estado de SP terá feriado em 9 de julho

São Paulo comemora, na segunda-feira, o 69º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932. A data é feriado estadual desde 1997, graças a uma lei promulgada pelo governador Mário Covas, morto este ano. O governo do Estado ainda está planejando as comemorações para o dia, mas a Sociedade dos Veteranos de 32 - MMDC já definiu eventos para festejar a revolução. A programação começa às 9 horas, no Monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (Obelisco), no Ibirapuera, na zona sul de São Paulo.A entidade dará posse ao novo comandante do Exército Constitucionalista, cargo simbólico com mandato de um ano. Para 2001, foi escolhido Geraldo Pires de Oliveira, de 86 anos. Depois, ocorrerá a imortalização de quatro ex-combatentes, cujos despojos serão depositados no mausoléu. Na solenidade, o poeta Paulo Bonfim recitará a Oração Ante a Última Trincheira, composta pelo também poeta Guilherme de Almeida.A entidade ainda entregará medalhas para 34 homenageados. A partir das 10h30, começará o tradicional desfile de ex-combatentes, que contará com a participação das Forças Armadas. "Convidamos o governador Geraldo Alckmin e a prefeita Marta Suplicy para a comemoração", disse o secretário da entidade, coronel Mário Fonseca Ventura. "Mais eles ainda não confirmaram presença."Segundo a sociedade, 400 ex-combatentes estão vivos. "O Estado de São Paulo sofreu muito com o regime de interventores decretado por Getúlio Vargas depois que assumiu o poder", lembra o veterano Theobaldo de Freitas Leitão, de 91 anos. "Isso ocorreu em parte porque a candidatura do presidente deposto Washington Luís era paulista." Leitão participou da revolução até o fim. "Tinha 21 anos quando lutei na fronteira com Minas", afirma. "A Revolução Constitucionalista não pode ser esquecida. Tem de ser comemorada como um dos momentos mais significativos para a democracia do País."Por causa do feriado, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio. Carros com placas de finais 1 e 2 poderão circular normalmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.