Estado de SP corre risco de epidemia, diz Sucen

A Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) informou hoje que o Estado de São Paulo corre o risco de ter de enfrentar uma epidemia de dengue hemorrágica. A informação é do superintendente do órgão, Luiz Jacintho da Silva. A dengue hemorrágica é considerada a de tipo mais grave e, pelas estatísticas, mata 10% das pessoas infectadas, ainda que elas estejam recebendo tratamento médico. A dengue hemorrágica só atinge quem já anteriormente teve dengue.O superintendente da Sucen alertou ainda que um novo vírus da dengue, o vírus tipo 3, pode chegar a São Paulo. "O vírus já chegou ao Rio de Janeiro e, pela proximidade dos dois Estados, pode chegar a São Paulo", disse. "Estamos sob o risco de uma epidemia." Segundo dados da Sucen, o Estado de São Paulo já registrou este ano 51 mil casos de dengue, sendo que 50 mil foram registrados no primeiro semestre. O número de casos da doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, é o maior da história.O primeiro caso de dengue foi registrado, no Estado de São Paulo, em 1987. Desde então, foram registrados seis casos hemorrágicos da doença e dois óbitos. Hoje, a Prefeitura de São Paulo lançou uma campanha municipal de combate à doença. Na capital paulista foram registrados, desde o início do ano, 565 casos de dengue, sendo que 265 foram contraídos na própria capital. A campanha municipal contra a dengue vai ser realizada nas escolas e tem caráter preventivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.