‘Estado’, Cultura e Youtube fazem debate com candidatos de SP dia 17

Parceria inédita prevê participação de eleitores e hangouts com análise da campanha paulistana

O Estado de S. Paulo,

18 de agosto de 2012 | 15h02

Os oito principais candidatos a prefeito de São Paulo vão se encontrar no dia 17 de setembro, a partir das 21h15, em um debate promovido pelo Grupo Estado, pela TV Cultura e pelo YouTube. Além do encontro para discussão de propostas para a cidade, essa parceria inédita prevê uma série de eventos a partir do próximo dia 29 e abre espaço para a participação ativa dos eleitores.

A partir deste fim de semana, os internautas já podem contribuir enviando perguntas sobre os principais temas da campanha eleitoral. Oito questões vão ser selecionadas e respondidas pelos candidatos no debate do dia 17, que terá transmissão simultânea pela TV Cultura, pela rádio Estadão ESPN e pelo YouTube - a primeira do gênero no Brasil. Basta gravar um vídeo com sua pergunta no YouTube e depois fazer a inscrição pelo site estadao.com.br/debate.

Nas semanas anteriores ao evento, os jornalistas do Estado e da TV Cultura vão participar de debates, utilizando recursos tecnológicos do YouTube, sempre às 13h. O primeiro hangout - recurso de teleconferência do Google - será realizado no dia 29 de agosto, a partir do estúdio da TV Estadão e com participação de correspondentes do Estado. Eles vão contar como políticas de grandes metrópoles mundiais podem ser adaptadas e adotadas também em São Paulo.

No segundo hangout, em 5 de setembro, os próprios eleitores poderão debater os principais temas da campanha eleitoral em São Paulo. Um novo encontro entre os jornalistas do Estado e da TV Cultura será realizado no dia 12 de setembro, no qual vão analisar o cenário eleitoral e anteciparão os principais assuntos a serem abordados em 17 de setembro, assim como a expectativa em torno do comportamento dos candidatos no programa.

Vão participar do debate Estadão/TV Cultura/YouTube os oito candidatos de partidos com representação na Câmara dos Deputados, conforme previsto pela legislação eleitoral: Carlos Giannazi (PSOL), Celso Russomanno (PRB), Fernando Haddad (PT), Gabriel Chalita (PMDB), José Serra (PSDB), Levy Fidelix (PRTB), Paulinho da Força (PDT) e Soninha Francine (PPS).

Inovação. O diretor de Comunicação e Assuntos Públicos do Google Brasil, Carlos Felix Ximenes, afirma que esse formato de debate incorpora a riqueza que a internet trouxe para as eleições, como a maior participação dos cidadãos e o acesso a informações de todo o mundo - uma política bem-sucedida em uma metrópole da Europa ou dos Estados Unidos pode ser debatida com mais profundidade e servir de exemplo na disputa pela Prefeitura paulistana.

"O Google já fez ações semelhantes com a CNN na primeira eleição de Barack Obama, assim como no México e na Austrália. Agora chegou a vez de uma parceria mais robusta no Brasil", diz Ximenes. "É uma parceria muito feliz, em que cada um aproveita o que os demais têm de melhor".

Para Fernando Vieira de Mello, vice-presidente de Conteúdo da TV Cultura, a união de "três marcas fortes, cada uma com sua expertise", permite a realização de um debate ainda mais amplo, com participação dos eleitores, em um momento decisivo da campanha. "O debate será realizado um mês após o início do programa eleitoral, quando os eleitores já terão maior conhecimento das candidaturas e a disputa pelos votos dos indecisos será ainda mais importante para os candidatos".

O diretor de Estratégias e Mercados Digitais do Grupo Estado, José Papa Neto, destaca o dinamismo deste modelo de debate, com ações via internet, rádio, TV e jornal impresso. "Essa é a primeira etapa de um projeto maior, que é consolidar o Grupo Estado como uma empresa de comunicação multimeios", afirma. "Esse formato inovador é uma excelente oportunidade de ampliar o alcance do nosso jornalismo, levando-o a novos públicos por meio de novos canais de difusão e de interatividade", diz Ricardo Gandour, diretor de Conteúdo do Grupo Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012debate candidatos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.