‘Estado’ completa 143 anos de referência jornalística com aposta em inovação

‘Estado’ completa 143 anos de referência jornalística com aposta em inovação

Jornal comemora aniversário de fundação investindo em novos formatos, ferramentas e narrativas para informar o leitor neste ano decisivo do País

O Estado de S.Paulo

04 Janeiro 2018 | 05h00

O jornal O Estado de S. Paulo chega nesta quinta-feira, 4, aos 143 anos de existência reafirmando junto aos seus leitores e audiências seu compromisso de um jornalismo independente, sério e de qualidade e sua busca incessante por inovação. De um lado a empresa mantém no seu DNA a credibilidade e o rigor jornalístico de quase um século e meio de história. De outro, investe em formatos, ferramentas e novas narrativas para ajudar o leitor neste ano decisivo do Brasil, que se vê diante de uma nova eleição presidencial. É um esforço para proporcionar uma abordagem ágil e analítica na cobertura dos principais fatos do ano que se inicia – das eleições à Copa do Mundo da Rússia, passando pela recuperação econômica do País e os principais acontecimentos do mundo. 

As novidades tecnológicas são instrumentos para o Estado continuar a fazer o que está na sua origem: reportagens em profundidade sobre os temas mais relevantes do País. Um exemplo é o livro A Reconstrução do Brasil, que reúne uma série de reportagens sobre os principais obstáculos ao desenvolvimento brasileiro. Outro são os vídeos Caminhos para 2018, em que personalidades e anônimos discutem o que é preciso para resgatar o País da crise. 

Com a unificação das plataformas, jornalistas renomados passaram a ser ouvidos nos programas da Rádio Eldorado, que também completa 60 anos nesta quinta-feira, a aparecer em lives do Facebook e a frequentar os stories do Instagram, sempre atrás de um público ávido por conteúdos de qualidade. Com uma linguagem simples e mais de 7 milhões de visualizações por mês, o Estadão Drops no Instagram está entre as principais inovações de 2017. Para quem não desgruda da notícia, o Estadão às Cinco oferece, de segunda a sexta-feira, as principais notícias do dia no Facebook, com a presença de jornalistas e convidados, além de conectar correspondentes e repórteres do Estado espalhados pelo Brasil e pelo mundo. 

Direto dos smartphones, o podcast traz, além das notícias e análises, a comodidade de poder ser ouvido a qualquer momento e em qualquer lugar. O carro-chefe dessa nova maneira de informar é o Estadão Notícias. Disponível de segunda a sexta, às 6 horas, o podcast é recheado de análises, indicando os assuntos que irão percorrer o dia dos ouvintes. Pode ser ouvido nas ferramentas de podcast ou nos aplicativos de streaming, como Spotify e Deezer.

Além deste, o Estado possui um portfólio amplo de podcasts, como o Conexão Estadão, o Estadão Esporte Clube, o Hyperlink e o Refrão, e notícias dos quatro principais times paulistas. Em menos de um ano, os produtos somam mais de 1,8 milhão de downloads.

Dos fones de ouvido às caixas de e-mail, as newsletters do Estado chegam aos leitores, todos os dias, com as principais análises e os destaques do noticiário. Já pela manhã, o Manchetes traz os assuntos que vão mexer com o dia. O Estadão Noite complementa o trabalho, levando as análises e o que aconteceu de mais importante.

As notícias do mundo recebem um reforço com a parceria com o The New York Times International Weekly. Com reportagens aprofundadas e curiosas sobre diversos lugares do mundo, o serviço traz aos leitores nacionais perspectivas inéditas sobre negócios, comportamento, política e artes.

CREDIBILIDADE 

Desde sua fundação em 4 de janeiro de 1875, quando surgiu com o nome de A Província de São Paulo, o jornal O Estado de S. Paulo sempre tomou posição clara nos episódios mais marcantes da história do Brasil. Seus fundadores defenderam o fim da Monarquia e a Proclamação da República, em 1889, um ano após terem celebrado a abolição da escravatura, a primeira grande causa pela qual lutaram.

Ao longo de sua história de 143 anos – ou de 138 anos de independência, sem contar o período em que foi ocupado pela ditadura de Getúlio Vargas – o Estado sempre fez coberturas jornalísticas abrangentes das eleições presidenciais, com imparcialidade, mas sem deixar de externar suas opiniões em editoriais. Em tempos de intenso debate sobre os danosos impactos das fake news sobre a liberdade de imprensa em todo o mundo, o Estado será, ao longo de 2018, fonte legítima de informações para a sociedade brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.