Marina Ramos/Agência Câmara
Marina Ramos/Agência Câmara

Estadão promove debate sobre combate à corrupção em parceria com instituto

Adriana Ventura, Alessandro Molon, Alvaro Dias e Roberto Livianu participaram de evento mediado por Eliane Cantanhêde

Levy Teles, O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2021 | 05h00
Atualizado 09 de dezembro de 2021 | 11h28

O Estadão realizou nesta quinta-feira, 9, em parceria com o Instituto Não Aceito Corrupção, o evento “Em busca dos melhores caminhos contra a corrupção”, transmitido pela TV Estadão nas plataformas digitais do jornal e pelo canal do instituto no YouTube.

O encontro reuniu a jornalista e colunista do Estadão Eliane Cantanhêde, o presidente do Instituto Não Aceito Corrupção, Roberto Livianu, e parlamentares: a deputada federal Adriana Ventura (Novo-SP), o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) e o senador Alvaro Dias (Podemos-PR).

Veja aqui o debate:

O evento ocorreu no dia internacional de combate à corrupção, comemorado nesta quinta-feira. Para Livianu, promotor do Ministério Público de São Paulo, a ideia é debater assuntos como o orçamento secreto, revelado pelo Estadão, a prática das “rachadinhas” e discussões sobre a Lei de Improbidade, Lei da Ficha Limpa, a não extinção do foro privilegiado e a prisão em segunda instância.

Ele destacou a participação de congressistas que protagonizam o debate sobre o tema. “Queremos que essas três figuras emblemáticas de espectros políticos diferentes apresentem as suas preocupações, ideias, sugestões e caminhos para o combate à corrupção para termos os melhores caminhos”, disse Livianu.

Para a deputada Adriana Ventura, é preciso que o tema continue sendo debatido em diferentes níveis para que “mais luz” seja colocada no tema. Transparência, disse a parlamentar, é uma “arma poderosíssima” contra a corrupção. “Precisamos aumentar os mecanismos de controle, aumentar os instrumentos para a fiscalização e, finalmente, deixar a punição mais severa e efetiva”, afirmou. “Não dá para os ladrões terem a certeza de que sairão impunes, não dá para ter foro privilegiado para 55 mil autoridades.” 

Entre as agendas defendidas por ela estão a da prisão em segunda instância. Para o senador Alvaro Dias é fundamental a institucionalização de uma política de Estado de combate à corrupção permanente. Os dois principais temas para o avanço da pauta, na opinião dele, são a extinção do foro privilegiado e o restabelecimento da prisão em segunda instância. “A adição das duas medidas significaria um salto civilizatório. Teríamos uma Justiça que se equiparará ao dos países mais evoluídos do mundo”, afirmou.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.