'Estadão', Cultura e YouTube farão debate

Uma parceria inédita na história das eleições brasileiras marcará, neste ano, a cobertura da disputa eleitoral pela Prefeitura de São Paulo. O Estadão, a TV Cultura e o site YouTube vão juntar seus talentos, estruturas e ferramentas e organizar uma série de debates entre os candidatos à sucessão do atual prefeito, Gilberto Kassab. A iniciativa alcançará ao mesmo tempo leitores, telespectadores, internautas, ouvintes e usuários de celular e tablets, reunindo praticamente todos os públicos e plataformas de mídia disponíveis.

EQUIPE AE, Agência Estado

15 de abril de 2012 | 08h10

A operação contará, nesse conjunto, com interatividade e material de apoio, via rádio, jornal, TV e portais, permitindo o mais completo contato com o eleitor.

É a primeira vez, também, que o YouTube participa de semelhante iniciativa no País. Em 2008, o site americano promoveu com o canal a cabo CNN um debate entre os candidatos Barack Obama e John McCain, marcado por surpreendente participação dos eleitores.

Além de inédita, a parceria começa na frente. O debate de estreia, no dia 16 de julho, será o primeiro da campanha paulistana - compromisso já assumido pelos partidos. Será no auditório da TV Cultura e vai ao ar no horário do programa Roda Viva. "Estou entusiasmado", resume Fernando Vieira de Mello, vice-presidente de Conteúdos da Fundação Padre Anchieta. "Teremos o debate na Cultura, nos sites do Grupo Estado e no YouTube. E também a repercussão e interação com o público, nos veículos do Grupo Estado e no Jornal da Cultura."

"A parceria reúne habilidades complementares - o jornalismo do Estadão, a capacidade de produção e difusão televisiva da TV aberta, na Cultura, e um canal amplificador de interatividade, que é o YouTube", resume Ricardo Gandour, diretor de Conteúdo do Grupo Estado. "Assim", acrescenta ele, "será possível acompanhar ao vivo no rádio, na TV, pelo celular, pelo tablet". Uma série de iniciativas pela internet, além de um aplicativo inédito, o E-voto, também estarão disponíveis no portal estadão.com.br (ver abaixo).

"Estamos absolutamente encantados com a oportunidade de participar desses debates", afirma o diretor de novos negócios do YouTube no Brasil, Álvaro Paes de Barros. "Ao lado de veículos de peso, como Estadão e Cultura, queremos levar a interatividade e capilaridade do YouTube para a cobertura, dando ao usuário eleitor uma voz antes não possível."

A parceria Estado-Cultura-YouTube prevê três debates - dois no primeiro turno e um no segundo, se este for realizado. Cada um deles terá cinco blocos, sendo dois para perguntas de jornalistas e dois para perguntas entre candidatos. O quinto conterá perguntas de eleitores e considerações finais. O critério de participação é que os partidos tenham representação no Congresso. Os demais candidatos serão contemplados com entrevistas na TV Estadão, transmissão pelo YouTube e publicação no Estadão e no portal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
debateEStadãoCulturaYoutube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.