Está faltando FHC nesse julgamento, diz Lauro Campos

A reunião do Conselho de Ética do Senado foi retomada com o encaminhamento do voto do senador Lauro Campos (sem partido-DF) a favor do relatório do senador Roberto Saturnino (PSB-RJ). Campos disse durante sua justificativa que no julgamento do processo de cassação dos senadores ACM e Arruda pela violação do voto secreto dos senadores no processo que cassou o ex-senador Luiz Estevão está faltando pelo menos um réu: o presidente Fernando Henrique Cardoso. Segundo Campos, o presidente é responsável em grande parte pelos problemas que afloraram nesse processo. Ele lembrou que a oposição já fez 15 tentativas de enquadrar o presidente por crime de responsabilidade, porém 13 já foram frustradas. "Mas ele não perde por esperar. Seu dia chegará bem antes do Juízo Final. Cada um tem seu dia do Juízo Final e a Justiça poderá ser feita ainda na Terra. Assim eu espero", afirmou. Campos disse ainda que, segundo a Constituição, não é preciso que um parlamentar cometa um crime para ser enquadrado nas infrações passíveis de perda do mandato. Ele afirmou que o julgamento dos dois senadores vai depender do rigor ou da falta de rigor com que cada um irá julgar o caso. Campos lembrou elogios que ACM lhe fez durante seu depoimento no Conselho de Ética, dizendo que caso venha a votar pela cassação do senador baiano, será "pelo crime que ele cometeu contra a senadora Heloisa Helena (PT-AL)", ao supostamente revelar o voto secreto dela no processo de cassação de Luiz Estevão. Ele disse ainda que o que acontece hoje com ACM já foi visto várias vezes. "Quando o poder político foge, atrás do poder político fogem os falsos amigos e os vendilhões", afirmou. Campos ressaltou que não pretende participar do "banquete totêmico" que está se preparando no julgamento de ACM. Ele comparou o processo a um ritual das culturas pré-letradas, no qual o totem, que representa o poder, é devorado em um banquete para que esse poder seja compartilhado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.