Está em estudo mais de um reajuste do mínimo, diz petista

O líder do governo na Câmara, deputado professor Luizinho (PT-SP), disse que as discussões em torno do reajuste do salário mínimo envolvem uma política de recuperação do seu valor como, por exemplo, a possibilidade de mais de um reajuste por ano. "É uma hipótese ainda em estudo", afirmou o deputado, ao deixar a Base Aérea de Brasília, onde participou da cerimônia de embarque das tropas brasileiras para o Haiti. Após a solenidade, Luizinho e o líder do PT na Câmara, Arlindo Chigna lia (PT-SP), estiveram reunidos rapidamente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para conversar sobre as negociações sobre o novo valor do mínimo. O líder disse que o governo continua discutindo com os parlamentares da base aliada sobre a necessida de de aprovação do salário mínimo em R$ 260,00, como estabelecido na Medida Provisória do governo. O líder do PT, Arlindo Chignalia, contou que fez um relato ao presidente da reunião na semana passada com as lideranças governistas. O líder também disse que comentou a hipótese de o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, participar de uma reunião com a bancada do PT para mostrar os cálculos do governo. Ele disse que quer ter esta semana uma previsão dos votos do partido a favor da medida provisória do gov erno. "Vamos fechar questão na quinta-feira", afirmou. Segundo ele, os ministros devem também fazer um levantamento junto às suas bancadas. O líder evitou comentar sobre punições para os petistas que votarem contra o governo. "Quem não votar ( a favor dos R$ 260,00), fica para depois", disse. Chignalia disse não há previsão de o presidente Lula participar pessoalmente do convencimento dos parlamentares. "Mas é claro que se os líderes precisarem de apoio, o presidente vai dar", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.