'Esse caso é super enrolado'

Confira a entrevista com Claudio Weber Abramo, diretor-executivo da ONG Transparência Brasil, uma das 12 entidades que integram o Movimento TranSParência

Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo

09 de agosto de 2013 | 22h32

Claudio Weber Abramo é diretor-executivo da ONG Transparência Brasil, uma das 12 entidades que integram o o Movimento TranSParência. Criado pelo governador Geraldo Alckmin, o comitê tem o objetivo de acompanhar a investigação da suposta formação de cartel por empresas privadas em licitações nos transportes.

Confira a entrevista:

Como será o trabalho desse grupo de entidades independentes convidado pelo Governo para acompanhar o o caso Siemens que foi cirado em cima de última hora?

É normal ser de última de hora. Não é de se espantar. Não sei bem qual o verbo certo para definir nossa atuação. Não é supervisionar, porque não temos autoridade sobre ninguém. Creio que é observar. Como ele vai se constituir ainda será objeto de disucssão.

Avalia que essa iniciativa pode ter algum resultado concreto?

Eu não participaria de algo que pudesse ser usado como figuração do Governo.

Disseram qual será o raio de ação?

Será ilimitado no campo da observação. Esse grupo precisa ter acesso total a todas informações de qualquer organismo do Estado.

Mas nem o Governo tem muitas informações...

De fato. Esse é caso é super enrolado. Não se sabe exatamente de onde vieram as informações que o Cade está usando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.