Esquerda do PT quer apresentar emendas à reforma da previdência

Um grupo de parlamentares da esquerda do PT reúne-se hoje para trabalhar nas emendas que pretende apresentar para alterar pontos da proposta de reforma previdenciária encaminhada ao Congresso pelo governo. O grupo declara-se disposto a apresentar as emendas, apesar da determinação da Casa Civil e da orientação do líder petista na Câmara, deputado Nelson Pellegrino (BA), de que emendas à proposta do governo só poderão ser apresentadas depois de aprovadas pela bancada em acordo com o governo. O deputado Walter Pinheiro (PT-BA), um dos integrantes do grupo, disse que uma das emendas do grupo vai propor que a contribuição previdenciária dos servidores públicos inativos não seja tratada na Constituição, mas que os Estados sejam autorizados a criá-la. "Se a questão é taxar os inativos para atender aos Estados, basta permitir que eles resolvam o assunto", afirma Pinheiro. Ele argumenta que não teve oportunidade de discutir a proposta do governo em nenhum fórum antes de ser enviada ao Congresso e que agora é a hora de debatê-la. O presidente do PT, deputado José Genoino (SP), disse que ninguém pode proibir o deputado de apresentar emendas à proposta do governo. "Estamos recomendando que sejam apresentadas emendas de bancada. Se o deputado recolher assinaturas e apresentar uma emenda individual, não é motivo para punição, mas a bancada terá de votar unida", afirmou Genoino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.