Esquema de segurança protege ministro em visita

Trinta policiais fizeram a segurança do Ministro da Educação, Paulo Renato Souza, durante visita dele a Taubaté.As ruas de acesso à igreja onde Paulo Renato foi recebido foram interditadas para impedir um protesto organizado pelos professores da rede estadual, que acabaram não tendo acesso ao ministro.Apressado, Paulo Renato participou de uma missa organizada pela Diocese de Taubaté, assinou a portaria que cria a primeira faculdade de teologia católica do País e foi embora sem falar com a imprensa.Na cerimônia, o ministro não falou em sucessão presidencial nem na greve nas universidades federais. Ele apenas rezou bastante, pensando talvez no rumo dos sucessivos protestos na área de educação e em sua possivel candidatura.O aparato policial permaneceu montado até a saída do ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.