Esqueceu? A culpa não é da memória

Esqueceu de onde largou a chave do carro? Perdeu aquela consulta médica marcada há meses? Deixou de dar um recado? Pois existe gente que não se esquece de nada. São os hipermneumônicos. Lembram de todas aquelas aulas de termodinâmica da escola, dos rostos e nomes de todo mundo que conheceram, do que comeram no almoço do dia 29 de maio de 1983. No outro extremo estão pessoas como a professora de inglês Laura Pacote, que faz listas com tudo o que precisa fazer durante o dia, é incapaz de gravar o trajeto que já percorreu de carro mais de 40 vezes, sai com o telefone sem fio na bolsa em vez do celular e não só se vê em situações contrangedoras como põe os outros em circunstâncias delicadas. Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.