Esplanada ainda está vazia durante votação do impeachment

Policiais esperam maior movimento na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, depois das 16h

Lígia Formenti, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2016 | 12h19

Brasília - Fechada para o acompanhamento da votação do processo de impeachment, a Esplanada dos Ministérios está praticamente deserta. A única movimentação no momento é de policiais e de ambulantes que começam a instalar suas barracas. Quase todas, no entanto, estão montadas do lado pró-impeachment. A oferta é variada, desde lanches rápidos até promessas de pratos servidos no horário do jantar. Do lado reservado a manifestações de apoio à presidente Dilma Rousseff há apenas alguns ambulantes, vendendo água e sorvete.

De acordo com o sargento V.Gomes da Polícia Militar do Distrito Federal, menos de 100 pessoas circulam no momento no local. Foram destacados 560 homens para trabalhar na segurança, no período da manhã. A expectativa, segundo ele, é que a movimentação de manifestantes comece a aumentar somente depois das 16 horas. Mesmo assim, avalia, a previsão é de que hoje menos de 5 mil pessoas venham para a Esplanada. "Estamos preparados para uma movimentação muito maior, mas apenas por precaução", disse. Durante todo o dia, deverão passar pela Esplanada 1.300 policiais.

Relatórios de inteligência, de acordo com ele, avaliam que a movimentação de grupos favoráveis à presidente Dilma deverá ser muito pouco expressiva. "Durante a votação do processo na Câmara, vieram manifestantes da CUT nacional. Agora são esperados apenas os representantes da CUT do DF", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.