DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

'Espero que alguns setores do PSDB não tenham participação nenhuma na executiva', diz Tasso

Senador e ex-presidente interino desistiu nesta segunda-feira de disputar presidência da sigla para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assumisse

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2017 | 21h27

Após desistir de disputar a presidência do PSDB para apoiar o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) visitou na tarde desta segunda-feira, 27, o diretório estadual da legenda para "agradecer" o apoio dos tucanos paulistas ao seu nome.

++ Tasso e Perillo desistem de disputar presidência do PSDB e apoiam Alckmin para o cargo

Em conversa com os jornalistas, o senador cearense foi questionado sobre o espaço que o grupo do senador Aécio Neves (MG) deve ter na composição da futura direção executiva tucana. "Espero que alguns setores do partido não tenham participação nenhuma, porque foram os responsáveis pela falta de credibilidade do PSDB", disse Tasso.

Ainda segundo senador, o PSDB está "desconectado" com a população. Tasso rejeitou a possibilidade de o PSDB ficar isolado na campanha presidencial do ano que vem. "O pior isolamento que existe é com o povo. Estamos desconectados da população brasileira. Pretendemos nos reconectar com a sociedade", disse Tasso.

O senador afirmou que não pleiteia nenhum cargo na direção do PSDB. "Não tenho pleito nenhum de cargo na executiva. Minha decisão foi uma maneira de pacifica o partido", disse. O partido vai realizar no próximo dia 9, em Brasília, sua convenção nacional. A expectativa é que o evento se transforme num ato de aclamação da candidatura de Alckmin à Presidência da República.

+++ Aécio destitui Tasso do comando do PSDB; ex-interino fala em pressão do Planalto

+++ Huck anuncia que não será candidato a presidente

O governador de Goiás, Marconi Perillo, também era esperado na sede do PSDB paulista, onde hoje aconteceu a primeira reunião da executiva estadual. Perillo, porém, não compareceu. O governador goiano e o senador cearense se reúnem na noite desta segunda-feira, no Palácio dos Bandeirantes, com Alckmin.

O encontro vai selar, formalmente, o acordo para que haja uma chapa única na convenção nacional. Segundo dirigentes tucanos ouvidos pelo Broadcast, uma das possibilidades é que Perillo assuma a primeira-vice-presidência nacional do partido e tenha um papel de destaque na montagem dos palanques estaduais do PSDB em 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.